A evolução das soluções de beleza facial e corporal.

A evolução das soluções de beleza facial e corporal.

Pode-se considerar a radiofrequência criogênica como uma evolução dos equipamentos de radiofrequência convencionais, pois essa técnica consiste em aliar a radiofrequência, com energia maior que a convencional, simultaneamente à técnica de criogenia, que resfria intensamente a superfície do aplicador atingindo temperaturas negativas.

A radiofrequência funciona através de dois principais mecanismos de ação: produzindo aquecimento tecidual e vasodilatação. A injúria ativa a cascata inflamatória e estimula a síntese de colágeno pelos fibroblastos (neocolagênese), promovendo espessamento da derme. A vasodilatação leva à hiperemia e à drenagem linfática do tecido gorduroso. A associação dos mecanismos na derme e no subcutâneo proporciona melhora do aspecto da pele. Seu funcionamento baseia-se na emissão de correntes elétricas de alta freqüência, formando um campo eletromagnético que gera calor, quando em contato com os tecidos corporais humanos.

Trata-se de uma modalidade terapêutica que utiliza radiações do espectro eletromagnético na ordem de kilohertz , ou seja radiofrequência. Por ser uma onda senoidal de elevada frequência, perde seus efeitos químicos e biológicos de excitação neuromuscular, entretanto conserva o efeito de conversão em calor por ser absorvida pelos tecidos. É uma onda eletromagnética que gera calor por conversão, compreendida entre 30 KHz e 300 MHz, sendo a frequência mais utilizada entre 0,5 e 1,5 MHz. A conversão se refere à passagem da radiofrequência com comprimento de onda métrica e centimétrica pelo tecido do indivíduo, que se converte em outra radiação, calor, cujo comprimento de onda está na ordem de nanômetros . Por esse processo é considerada genericamente como diatermia e é aplicada há anos como termoterapia profunda. A corrente é formada quando partículas carregadas permeiam através dos tecidos, essa corrente encontra resistência que é variável de acordo com cada tecido, sendo denominada impedância.

Assim, a quantidade de energia produzida depende da corrente e da impedância do tecido alcançado. Tecidos com impedância mais alta como o tecido adiposo geram uma quantidade de energia maior, gerando um efeito termal mais potente. Diversas formas de entrega da RF têm sido desenvolvidas: monopolar, bipolar, 7 multipolar e fracionada. Os equipamentos de RF atuam de formas diferentes de acordo com a técnica ou tecnologia utilizada. O sistema de RF monopolar libera energia usando um dipolo localizado na ponteira e outro em contato com a pele do paciente, atuando como eletrodo de aterramento ou retorno. O eletrodo é desenhado para dispersar a energia uniformemente através superfície da pele por um processo denominado acoplamento indutivo, que cria uma zona de temperatura mais elevada à profundidade controlada.

A profundidade de aquecimento depende do tamanho e da geometria da ponteira usada (LOLIS, 2012). A fase das ondas eletromagnéticas produzidas por esse meio é controlada de tal forma que permite a penetração do calor no tecido em profundidade em torno de 20mm. O calor produzido pela movimentação das moléculas de água permite que a temperatura na superfície da pele também se aqueça, devendo ser monitorada e estabilizada na faixa de 40°C enquanto temperaturas mais altas (50-75ºC) podem ser obtidas na derme reticular e hipoderme.

A principal diferença entre a RF bipolar e a monopolar é a configuração. A configuração bipolar (válido também para tripolar o multipolar) consiste em dois (ou mais) eletrodos ativos colocados a curta distância, posicionados na manopla do dispositivo. A corrente tem fluxo entre os dois eletrodos, e a profundidade de penetração é aproximadamente a metade da distância entre os dois eletrodos. Pelas características de cada configuração seus efeitos diferem, relacionando-se a RF monopolar a uma resposta mais efetiva ao dano do tecido adiposo, enquanto a bi, tri ou multipolar respondem mais efetivamente a melhora da textura da pele por sua ação mais expressiva no processo de neocolagênese (formação de novas fibras de colágeno).

A criofrequência é uma técnica de oscilação de temperatura onde a radiofrequência e a crioterapia atuam simultaneamente no tecido e promovem o choque térmico, exercendo a termorregulação tecidual e o estímulo de novas fibras de colágeno. O calor profundo está associado ao mesmo tempo ao resfriamento intenso da ponteira, causando um choque térmico capaz de gerar efeitos fisiológicos mais expressivos. Além disso, a criogenia (resfriamento) traz segurança e conforto térmico, pois controla a sensação de calor gerado na aplicação.

A aplicação do choque térmico nos tecidos tem como objetivo intensificar os efeitos fisiológicos e assim obter mais resultados. A aplicação do frio pode ativar as proteínas de choque, alterar o pH intracelular e ativar o estresse no tecido gorduroso e assim desencadear o processo de apoptose. A aplicação de frio e calor simultaneamente, tem o objetivo de manter a temperatura alta nos tecidos mais profundos, intensificar os efeitos da radiofrequência e promover a termorregulação tecidual. Esse choque térmico gera uma instantânea tensão na pele e aumenta a oxigenação dos tecidos e a dilatação dos vasos que irrigam a pele.

Com o encontro das duas temperaturas, milhões de choques térmicos são produzidos nos tecidos, o que desestabiliza o metabolismo local. Nesse processo, tamanha energia mobiliza o colágeno também nas camadas mais profundas, atingindo até a derme. A gordura é também mobilizada, o que causa a lipólise e apoptose dessas células. Ocorre uma quebra da gordura de reserva dentro da célula adiposa, passando de triglicerídeos para ácidos graxos e gliceróis, processo esse, conhecido como lipólise. Após esse processo, a célula adiposa ‘expulsa’ a gordura e a mesma passa a ser consumida pelo organismo como fonte de energia para a queima calórica, seja em atividades físicas ou em dietas.

Para a flacidez, devido o choque térmico gerado, ocorre uma tensão na pele de forma instantânea, o que gera um efeito desintoxicante e dilata os vasos sanguíneos que irrigam a pele. Isso eleva a oxigenação tecidual, produzindo um lifiting instantâneo, progressivo e duradouro desde a primeira sessão.

As indicações do tratamento são:

  • Celulite;
  • Flacidez cutânea;
  • Melhora do contorno corporal;
  • Rejuvenescimento facial;
  • Rugas e linhas de expressão.

E os resultados esperados são:

Redução duradoura da flacidez da pele,

  • Promove a lipólise e reforça a estrutura dérmica para atenua a celulite,
  • Reduz o volume e modela o corpo,
  • Previne o aparecimento de celulite